top of page
Ativo 8_edited.png
Ativo 8_edited_edited.png
  • Foto do escritorComunicação Fundiágua





Fundiágua investe mais de R$50 milhões em títulos públicos federais


Movimentos recentes levam as carteiras de investimentos dos Planos I – BD e II – Saldado para patamares aderentes à média do mercado de Entidades Fechadas de Previdência Complementar do Brasil.


Em 05/07/2022, a Fundiágua concluiu a aquisição de aproximadamente R$51,5 milhões para os Planos I (BD) e II (Saldado) de Títulos Públicos Federais (NTN-B), com rentabilidade vinculada à variação da inflação medida pelo IPCA¹, acrescida dos juros definidos no momento da compra e com pagamento de juros semestrais. Somados ao montante de NTN-B adquirido no fim de 2021 e início de 2022, as compras totalizam R$ 167,7 milhões para os dois planos.


De acordo com o Diretor Financeiro, Rodrigo Souza Araújo, as aquisições dos Títulos Públicos com taxas acima da meta atuarial auxiliam de forma substancial os resultados dos planos e imunizam uma parte importante dos passivos futuros dos referidos planos.


"As aquisições dos títulos públicos são parte importante da reestruturação que a Fundiágua vem fazendo na gestão dos investimentos que, somadas à seleção de novos gestores, devem contribuir positivamente para os resultados dos planos de previdência."

Rodrigo Souza Araújo, Diretor Financeiro da Fundiágua.



Tais movimentações seguem os resultados dos estudos de ALM (Asset Liability Management) realizados pela Consultoria Aditus para a carteira de investimentos da Fundiágua, que considera 120 diferentes EFPCs, com 134 planos do tipo benefício definido. Os estudos contratados junto à consultoria especializada têm o objetivo de indicar as melhores alocações para os recursos disponíveis para investimento, visando a redução de risco e otimização de resultados.


O Gerente de Investimentos, Leonardo Galluzzi Sansivieri, relata que as compras ocorreram ao longo de mais de 2 meses (06/05 a 05/07) e que as transações foram operacionalizadas junto às três corretoras habilitadas pela Fundação (XP, Renascença DTVM e BGC Liquidez).


Por fim, cabe destacar que todos os títulos adquiridos serão levados até o vencimento. Essa forma de precificação está prevista na legislação vigente e, de acordo com Leonardo, protege os planos das variações do mercado e garante que os ativos trarão a rentabilidade contratada até os vencimentos.


 

AQUISIÇÕES

Plano I (BD) Para o Plano I (BD), foram adquiridos aproximadamente R$ 5,0 milhões com uma taxa média ponderada IPCA + 5,70%, o que representa 0,84 pontos percentuais acima da meta atuarial (INPC + 4,86%).

Plano II (Saldado)

No Plano II (Saldado), o montante investido foi de R$ 46,5 milhões a uma taxa média ponderada IPCA + 5,70%, ficando 0,86 pontos percentuais acima da meta atuarial (INPC + 4,84%).

 

¹Os índices INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) e IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) são indicadores que medem a inflação doméstica e são bastante correlacionados. Assim, mesmo que a meta atuarial e os títulos públicos possuam indicadores de referência diferentes, a tendência é que o comportamento entre eles seja bastante próximo.

 

5 visualizações

Comments


Ativo 8_edited.png
Ativo 8_edited_edited.png
bottom of page